PAINÉIS CLT - TECNOLOGIA

 

1. Desempenho Estrutural

Os painéis CLT são fabricados através da colagem de lamelas de madeira em camadas ortogonais (com 3 ou 5 camadas, dependendo das exigências), aumentando assim exponencialmente a sua capacidade estrutural relativamente a construções em madeira tradicionais.

A natureza desta tipologia estrutural, a abundância de elementos tipo parede e a ausência de elementos lineares tipo viga ou pilar proporcionam uma enorme estabilidade e capacidade estrutural, inatingível com os sistemas tradicionais de construção em madeira. Exemplos disto são as zonas em consola ou as construções em altura. Na maioria destas é ainda possível obter desempenhos superiores aos materiais e soluções tradicionais em betão ou aço, nomeadamente quanto à protecção sísmica.

2. Comportamento Sísmico

A relação entre a massa e a robustez propiciada por este sistema permite uma resposta sem dano sob a acção de um sismo intenso em Estados Limite Últimos. Este desempenho só tem paralelo numa solução convencional com recurso a sistemas tecnológicos avançados, do tipo isolamento sísmico de base.

3. Conforto Térmico

Os painéis CLT possuem características de condutibilidade térmica com valores excepcionais quando comparados com outras soluções estruturais. Desta forma, a sua aplicação traz ganhos significativos para o conforto dos utilizadores do edifício.

Quer seja nos períodos mais frios do ano ou nos meses mais quentes, um edifício construído com painéis CLT apresenta um óptimo desempenho térmico, com reduzidas variações de temperatura ao longo do dia. Comparando esta solução com as soluções tradicionais de construção, temos como principais vantagens a reduzida espessura das paredes (tanto nas fachadas como nas divisórias interiores) e a inexistência de pontes térmicas (um dos principais problemas causadores de perdas de temperatura, nas ligações entre paredes, pavimentos e tectos).

4. Higroscopicidade

A madeira, pelas suas características higroscópicas (isto é, pela sua propriedade de absorver água do ar), é capaz de absorver, reter e libertar humidade. A construção fica então com alguma capacidade de regular de forma natural o teor de humidade no ar, conduzindo a um óptimo ambiente interior e de salubridade nas habitações.

5. Material Ecológico

A madeira é um verdadeiro material de construção sustentável. O pilar básico deste conceito assenta na garantia de proveniência de matéria-prima de florestas onde são aplicados consistentemente princípios primários de sustentabilidade, garantindo nomeadamente a reflorestação dessas áreas após cada extracção.

O grande potencial em termos de sustentabilidade prende-se com a redução de energia necessária para a construção (produção de materiais e execução em obra), bem como a redução de energia em fase de exploração, devido à grande eficiência energética do sistema construtivo.

6. Rapidez de Construção

Os painéis de madeira são entregues directamente em obra no formato final. Com o planeamento adequado, a sua chegada à obra é coordenada com a equipa de montagem, possibilitando de imediato a execução da estrutura. A facilidade, a rapidez e a eficácia da montagem da estrutura decorrem das grandes dimensões dos painéis (até 16,5m de comprimento, 2,95m de largura e 0,30m de espessura). Como exemplo, em Londres, a estrutura de um edifício de 9 pisos com 30 apartamentos foi executada por uma equipa de 4 carpinteiros, com um rendimento de 3 dias/piso.

O sistema construtivo “seco” permite a antecipação do início de execução das restantes especialidades (instalações técnicas e aplicação de revestimentos). Os rasgos necessários para a colocação de tubagens são facilmente executados por carpinteiros com recurso a simples ferramentas de corte. As grandes aberturas, para portas e janelas, são executadas em fábrica.

Todas estas condições proporcionam uma grande economia de tempo e custos, desde que devidamente planeadas.

7. Optimização da Área Útil

Para os mesmos requisitos de engenharia (estabilidade, segurança contra incêndios, conforto térmico e acústico) a solução CLT é mais esbelta comparada com as soluções tradicionais. Para o mesmo desenho de arquitectura o ganho, em termos de área útil, é evidente. A ausência de pilares (as paredes desempenham o papel de elemento vertical portante) e as paredes com espessuras muito inferiores são os principais factores que contribuem para esse ganho.

8. Redução de Resíduos

Uma vez que os painéis CLT são produzidos apenas por encomenda, nas dimensões finais em que serão aplicados em obra, evita-se desta forma a criação de desperdícios de material no decorrer da obra. Para além disso, na sua política de responsabilidade ambiental, a KLH procura reutilizar todo o material sobrante na preparação dos seus painéis.

9. Segurança ao Fogo

A madeira, sendo um material combustível, “autoprotege-se” em caso de fogo. A formação de uma camada carbonizada aumenta a resistência térmica do painel, não aumentando a temperatura da face oposta.

Os painéis KLH com 3 camadas possuem, em geral, uma estabilidade ao fogo de 30', enquanto os painéis com 5 camadas atingem os 60' de estabilidade. A colocação de revestimentos sobre os painéis (por exemplo placas de gesso cartonado) permite aumentar ainda estes valores de resistência. As grandes secções de madeira, juntamente com a previsibilidade da taxa de combustibilidade, dão ao sistema construtivo um desempenho fiável face à acção do fogo.